Pular para o conteúdo

Projetos

Quinta Dimensão: um programa de Ciência, Cultura e Tecnologia

Histórico da atividade

Realizar atividades de divulgação científica e cultural por meio de palestras e entrevistas com pesquisadores não é novidade no cenário social e acadêmico. Por exemplo, há décadas que a SBPC promove em diversas capitais e grandes centros urbano-acadêmicos o seu programa “Ciência Seis e Meia”. No campo do que se convenciona considerar como “mercado” temos, há muitos anos também, o programa de televisão Globo Ciência. Na televisão aberta a um determinado tipo de informação cultural já possui diversos momentos, mas já são várias as iniciativas das televisões educativas estatais que possuem a divulgação científica como foco. Na televisão paga temos o canal educativo Futura (que também transmite em UHF) e diversos programas nas grades dos canais Globonews e GNT também cumprem essa função, basicamente por meio de reportagens. Os canais pagos Discovery Chanel e Discovery Kids também são exemplos do atendimento a uma determinada, e crescente, demanda social por informações científicas.

Mas a cultura “audiovisual” própria dos tempos modernos relegou a informação científica por meio de rádio praticamente limitada aos programas de noticias.A idéia de “fazer” um programa de entrevistas com os Pesquisadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, transmitida via rádio, possui duas origens principais: os convites insistentes do Prof. Mauro Sá Rego da Costa (coordenador do Laboratório de Rádio Educativa da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense), para que eu organizasse um programa educativo a ser transmitido pela Rádio Comunitária Kaxinawá[1] (100.1 FM em Duque de Caxias) e minha participação como consultor “ad hoc” em vários comitês internos e externos de avaliação de projetos de pesquisa, momento em que percebi a gravidade da falta de informações que a própria comunidade universitária possuía sobre os resultados dos trabalhos de seus colegas.

Pano de fundo que sustenta essas duas origens é o fato de meu vínculo institucional ser em uma Faculdade que forma professores para as Séries Iniciais do Ensino Fundamental e para a Educação Infantil e a avassaladora crença de que estamos em uma “sociedade do conhecimento” em que a cada dia o preparo técnico-científico da juventude se torna uma questão estratégica. Porém, ao mesmo tempo se percebe como déficit fundamental dos professores (em especial os de crianças e jovens em fase inicial de escolarização) a sua formação e a posse de informações a respeito dos mais variados campos do avanço científico e cultural com impacto contemporâneo e cotidiano. Nesse sentido, parecia tarefa importante levar aos professores em formação os diversos aspectos do trabalho de pesquisa nas mais variadas áreas do conhecimento acadêmico desenvolvidos pelos profissionais da UERJ.

Foi assim que, em 2004, de forma bastante improvisada e amadora (contando com o apoio dos estudantes, professores e membros da comunidade que mantinham a Rádio Comunitária Kaxinawá e com o trabalho de funcionários e estudantes que trabalhavam na Comissão de Desenvolvimento Acadêmico da FEBF) iniciamos a experiência intitulada Quinta Dimensão: um Programa de Ciência, Cultura e Tecnologia (decorrente de sua realização ser às quintas-feiras e em alusão a um antigo seriado de ficção científica). O formato experimentado foi o de um “talk show” transmitido ao vivo, realizado no Auditório Aberto Darcy Ribeiro da Faculdade e gravado para posterior retransmissão em outros horários da programação da Rádio.

A gravação e edição dos programas visavam a sua possível cessão para outras rádios comunitárias e universitárias de todo o país. Sobre a experiência de Rádios Comunitárias é importante ressaltar a perspectiva do trabalho realizado, sob a coordenação do Professor Mauro de Sá Rego Costa no Laboratório de Rádio Experimental Educativo-Comunitário em Bairro do Município de Duque de Caxias 2:

O caráter de marcas territoriais de células musicais e sonoras que a experiência da música na Publicidade apenas repete, está presente em toda a História da Música, desde a tradicional, nas sociedades tribais (explicitamente territoriais), até a divisão das “tribos” na juventude atual, a partir do gênero musical a que aderem. Essa abordagem permite descrever efeitos de modos sonoro-políticos, numa experiência de rádio comunitária, em associação a novos agenciamentos sociais, novas práticas políticas, nas comunidades. As rádios comunitárias, como rádios locais, com incidência crescente no Rio de Janeiro, são um espaço privilegiado para investigação. Uma experiência de rádio comunitária ligada à Universidade, nos dará condições para atuar de forma autônoma, e ao mesmo tempo, mais sistemática, para cartografar e buscar pensar este universo. (http://www.sr3.uerj.br/resite/pro/consulta2007/mostra.asp?controle=567, consultado em 26/07/2007).

Dessa forma, fomos experimentando e desenvolvendo as condições técnicas de produção para atingir o nível de qualidade capaz de tornar as produções atraentes às demais rádios comunitárias e universitárias e, em 2004, iniciamos as transmissões dos seguintes programas com pesquisadores da UERJ:

:1 – Os desconhecidos riscos no uso de produtos naturais e da flora medicinal, com o Prof. Dr. Israel Feltzenszwalb;

2 – Compreendendo a dificuldade de tratar infeções resistentes a drogas com a Profa. Dra. Elvira Carvajal;

3 – O Vulcão de Nova Iguaçu com o Prof. Dr. Mauro César Geraldes;

4 – A Física das Tempestades Solares com o Prof. Dr. Cláudio Elias.

Em 2005, devido aos esforços de diversos participantes na elaboração do projeto de Mestrado Acadêmico em Educação, Cultura e Comunicação nas Periferias Urbanas (autorizado pela CAPES em 2006 com conceito 3) nenhum programa foi realizado. Mas as boas experiências de 2004 levaram à equipe de produção a realizá-lo novamente. No retorno em 2006, essas experiências foram confirmadas, a despeito de uma longa greve na Universidade que impediu a realização de um número maior de programas do que os inicialmente planejados. Os entrevistados foram:

1 – A situação da Pesquisa na UERJ com a Profa. Dra. Albanita Viana de Oliveira;

2 – A literatura de escritoras Afrodescendentes no Brasil e nos EUA com a Profa. Dra. Maria Aparecida Salgueiro;

3 – A Física Moderna com o Prof. Dr. Francisco Caruso Neto;

4 – Promovendo a leitura e a escrita e as dificuldades nessa tarefa com a Profa. Dra. Maria Teresa Gonçalves Pereira;

5 – Danos e reparos no DNA em ambientes de Microgravidade com o Prof. Dr. Nasser Assad.

A maior experiência da equipe de produção permitiu que, desta vez e ao contrário do que ocorreu em 2004, todas essas entrevistas fossem editadas para eliminação dos pequenos defeitos e das comunicações adicionais próprias de um programa ao vivo para que eles fossem retransmitidos em outros horários da grade de programação da Rádio.

No entanto, a meta de qualidade que permitisse a sua divulgação para reprodução em outras Rádios Comunitárias e Universitárias não foi, na auto-avaliação da equipe, atingida. Isso não impediu que um CD – Demonstração fosse editado para apresentação de nossos desenvolvimentos em diversos eventos internos da UERJ (UERJ Sem Muros de 2006, em que foi avaliado como Excelente na Semana de Extensão da FEBF). Os resultados de 2006 levaram à obtenção da primeira bolsa acadêmica para aluno de graduação referente ao programa (Estágio Interno Complementar-CETREINA/UERJ).

O ano de 2007 teve seu início marcado por uma série de fatores positivos para o programa Quinta Dimensão que permitiram, em primeiro lugar, que a equipe de produção se consolidasse. As bolsas para os estudantes de Graduação foram fundamentais, pois até março de 2007 todos os estudantes da equipe eram voluntários, o que prejudicava a realização regular do programa tendo em vista que o conjunto de atividades de pré-produção, realização e pós-produção que se tornavam cada vez mais complexas. Os novos equipamentos foram fundamentais para que novas soluções fossem encontradas para a realização do programa.Foi dessa forma que, sem interromper nossa opção pela transmissão via rádio e reprodução em CD, começamos a gravar o programa também em Vídeo Digital. Assim, nosso objetivo passou a ser a distribuição do programa gravado em CD para outras Rádios Comunitárias e Universitárias e gravado em DVD para Escolas Públicas da Educação Básica. Os programas do primeiro semestre de 2007 foram gravados e estão passando por processo de edição:

1 – A imagem do índio na imprensa e na escola com o professor José Ribamar Bessa;

2 – A literatura brasileira de escritoras Afrodescendentes com a Prof. Dra. Maria Aparecida Salgueiro e as escritoras Conceição Evaristo e Fernanda Felisberto;

3 – Os anos perdidos devido à violência urbana com o Prof. Dr. Emílio Della Soppa;

4 – As bacias hidrográficas do Rio de Janeiro com a Profa. Dra. Thereza Christina Rosso;

5 – O câncer: a segunda causa de mortalidade no Brasil com o Prof. Dr. Luis Felipe Ribeiro Pinto.

A partir do terceiro programa, com a Internet parcialmente desobstruída, os estudantes da equipe começaram os estudos de viabilidade para transmissão do programa ao vivo por meio de Rádio e Televisão via Internet com a criação, em formato Blog, do Canal Interativo Kaxinawá, localizado no endereço virtual http://www.kaxinawa.wordpress.com, com a finalidade de atender às demandas técnicas tanto do Programa Quinta Dimensão quanto das demais atividades da Rádio Kaxinawá FM 100,1. Os programas editados já estão disponíveis no Canal Interativo.O Canal Interativo Kaxinawá pretende se estabelecer como suporte e referência aos demais projetos desenvolvidos e em desenvolvimento pelo corpo docente e discente da FEBF, assim como pela comunidade de Vila São Luís que há tempos já se apropriou do espaço da Rádio. A escolha inicial de uma publicação eletrônica em formato de Web Blog está vinculada à aproximação das intenções e das atividades deste projeto com a Web 2.0 (a segunda geração da World Wide Web).

Esta nova plataforma vem ganhando força por reforçar os conceitos de troca de informações e de colaboração dos internautas por meio de páginas e serviços virtuais. O desenvolvimento da Web 2.0 visa atender a necessidade de tornar mais dinâmico o ambiente on-line, oferecendo aos usuários a possibilidade de colaborarem na organização de seus conteúdos. Dessa forma, tendo em vista a gratuidade do serviço e a sua interface gráfica sofisticada, os serviços disponíveis no Web Blog WordPress garantiram à equipe de produção do Programa Quinta Dimensão o início das transmissões ao vivo on-line e futuramente permitirão a publicação de materiais diversos e a interatividade com o público com acesso à Internet.

Depois de várias experiências transmitindo outros eventos da Faculdade, finalmente o quinto programa do semestre (com Luis Felipe Ribeiro Pinto) “inaugurou” essa forma de divulgação para um público mais amplo do que os ouvintes da Vila São Luis e estudantes, funcionários e professores presentes no Auditório Aberto Darcy Ribeiro.Cadastramos o “endereço MSN” quinta.d@hotmail.com, por meio do qual, já nessa primeira experiência foram realizadas perguntas para o entrevistado. Porém, a escolha de um serviço gratuito de mensagens instantâneas de propriedade da Microsoft não é definitiva no projeto, principalmente levando-se conta o crescente número de usuários com o software livre Linux como sistema operacional padrão. A manutenção exclusiva do Windows Messenger deixaria de fora os usuários Linux da comunicação direta com os entrevistados. A solução que será exercitada em 2007-2 é cadastrar o usuário quinta.dimensao no Skype (plataforma gratuita) por oferecer suporte tanto para Linux e Windows como para os usuários Mac. Além dessa superioridade interativa comparada em relação ao MSN, essa plataforma também oferece serviços de vídeo e áudio-conferência além do tradicional Chat.

A opção de transmissão foi utilizar apenas 128 Kbps da banda para que fosse ampliada a possibilidade de acesso pelo público da Internet tendo em vista o pequeno número de usuários brasileiros de banda larga, em especial as Escolas Públicas.


[1] A organização civil sem fins lucrativos Associação Comunitária de Educação, Comunicação e Cidadania de Vila S. Luís, reúne entidades comunitárias e da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense da UERJ: Associação de Moradores de Vila S. Luís, Associação dos Pescadores do Porto da Chacrinha, União da Juventude Socialista, Movimento Revolucionário Hip Hop de Vila S. Luís, Igreja Evangélica Boas Novas, Ministério dos Cavaleiros de Cristo, Centro de Estudos Espíritas Discípulos de Tiago, Pré-Vestibular Comunitário de Vila S. Luís; Centro Acadêmico Henfil, da FEBF e Laboratório de Rádio UERJ/Baixada. O objetivo da rádio é tanto ampliar a comunicação entre pessoas e grupos do bairro para questões de interesse local, no âmbito do urbanismo, trabalho, habitação, saúde, educação, meio-ambiente, etc. quanto servir como um meio de difusão de educação e cultura, porta-voz das várias entidades que a organizaram. A aquisição do equipamento para o Laboratório de Rádio contou com o apoio financeiro da FAPERJ (APQ-1aprovado em 2001).

8 Comentários

Deixe um comentário
  1. Anônimo / set 19 2007 23:04

    A FAPERJ comenta. Esse progrma é muito bom….

    Ele merece nosso financiamento.

    Viva!!!!!!

  2. Anônimo / out 11 2007 15:53

    Adorei o texto como um todo, escrevo sobre a educação de crianças em comunidades Bantus e gostaria muito de interagir com todos que estão envolvidos neste programa. Ainda necessito de idéias, dicas entre outras orientações para continuar meu trabalho. Atualmente estou formado em Pedagogia e procuro ingressar no curso de Pós-Graduação (Mestrado) em: Educação, Cultura e Comunicação. Obrigado pela atenção e desejo sorte à todos. MARCELO ABYPÀ. e-mail:maeafrica@click21.com.br

  3. Paula Andrea Morrone / nov 20 2007 15:27

    Como membro da equipe de produção, gostaria de parabenizar a todos que participaram de mais uma apresentação do Quinta Dimensão, dessa vez no V Seminário de Institutos, Colégios e Escolas de Aplicação das Universidades Brasileiras nos dias 16 e 17/11/2007.

  4. ELIANE / fev 9 2008 0:05

    ola!eu gosto de assistir o programa dimensao,e muito importante a populacao saber sobre outros seres viventes em outro lugar se nao ser o nosso planeta QUE VIVEMOS!

  5. Anônimo / mar 24 2008 19:17

    eu acredito que pode ser tudo uma farça pra lavar dinheiro, ó uma hipótese

    • Anônimo / jun 8 2009 21:01

      Vê-se logo que é um farsante que desconhece a grafia das palavras…

  6. José Marcolino Silva / abr 27 2008 2:12

    Parabens a todos os que fazem esse valioso meio decomunicação social,cultural e científico.

  7. camargo junior / jul 7 2010 14:46

    ola amigos e amigas ai da emissora , meu nome è camargo junior, sou diretor-presidente e jornalista da radio vale fm , da cidade de vila bela da santissima trindade estado de mato-grosso. gostaria de saber se nao teria uma forma de vcs me fornecerem o audio diàrio do programa ai, para eu veincular aqui na minha emissora. aguardo resposta o mais rapido possivel.
    celular de contato; 65 99415650.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: